Parcerias com iniciativa privada se tornam marca das primeiras semanas de Doria

20/01/2017

Não é de hoje que sabemos muito bem da ineficiência do poder público em resolver qualquer dos pequenos aos grandes problemas das cidades. Dos buracos nas ruas até vidas correndo risco em filas de exames e hospitais por não haver atendimento na velocidade e qualidade necessárias.

Falta de capacidade do poder público

Na cidade de São Paulo não faltam exemplos de incapacidade pública. Árvores podres que nesta época caem sobre carros e casas, lixo espalhado pelas ruas, calçadas em péssimas condições, ruas esburacadas, cliclofaixas implantadas sem planejamento, oferecendo alto risco aos ciclistas e até aos pedestres, que em vários casos dividem a mesma calçada. E por aí vai.

Chegamos ao ponto em que ou se profissionaliza a gestão pública e se cria uma oportunidade de mudança verdadeira ou continuaremos no campo das promessas políticas e em debates ideológicos que não resolvem nenhum problema daquele que mais precisa. Temos que sair da administração política e partir de uma vez pra verdadeira administraçãoque visa o interesse público.

Corujão e o primeiro exemplo de profissionalização de gestão

O exemplo mais importante dessa profissionalização na administração pública até o momento é o Corujão da Saúde. O programa tem como objetivo zerar a fila dos exames médicos que aguardam até mais de um ano para serem realizados. Em 1 semana – apenas uma semana – já foram agendadas 250 mil exames médicos, metade dos 500 mil pendentes no sistema público municipal.

É verdade que muitos exames já estão “sem validade” pelo tempo excessivo de espera, mas também há exames que são fundamentais para o paciente partir para a etapa do tratamento. A esperança é que realmente essa promessa se cumpra e que pelo menos essa fila seja zerada.

Hospitais parceiros

É interessante notar que os atendimentos não estão sendo feitos em qualquer lugar – no mais baratinho, por exemplo – mas nos melhores hospitais particulares da América Latina, daqueles que político gosta de se internar. Você pode nunca ter pisado lá, mas todos já ouviram falar do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital do Coração, Hospital Sírio Libanês e também do Hospital Albert Einstein, óbvio.

Pois é, o “povão” está sendo atendido no Albert Einstein. E isso é ótimo.

Isso resolve o problema de modo definitivo? Não! Se a prefeitura deixar a fila se formar novamente a situação sai do controle mais uma vez. Mas é importante observar que zerar a fila permite a prefeitura começar do zero e não do -500 mil. Daí pra frente é oferecer uma rede de saúde capaz de dar o atendimento básico da melhor maneira possível.

A tão necessária iniciativa privada

Isso nos faz acreditar que não só é possível mas necessário ter sim a iniciativa privada cuidando de gargalos que jamais serão resolvidos sem uma participação “externa”. E este exemplo pode ser levado para muitas áreas da administração pública, permitindo que alguns dos problemas da cidade possam ser resolvidos de maneira muito mais rápida e com muito mais qualidade.

Concessões e privatizações

Conceder (e não privatizar) parques públicos, por exemplo, pode resolver dois problemas ao mesmo tempo: tirar a despesa de manutenção do poder público, permitindo que os recursos sejam aplicados na saúde, educação, segurança, ao mesmo tempo que permite ao público ter um parque organizado, com todo seu potencial utilizado, com banheiros limpos, estrutura de alimentação, atividades e iluminação impecáveis.

Já a privatização parece importante para espaços que não fazem sentido ficar nas mãos da prefeitura. Por que uma prefeitura precisa ser dona de um autódromo? E de um espaço de eventos caindo aos pedaços?

Parcerias simples

Além de privatizações e concessões, há parcerias que podem ser feitas de maneira muito fácil. Já exemplos dessas parcerias em funcionamento:

Unilever

A gigante britânica irá fornecer materiais de higiene para os moradores de rua que procuram os abrigos municipais, irá fornecer também itens como sabonete, papel toalha, papel higiênico para os banheiros do Ibirapuera.

Cyrela

Outra gigante da construção se comprometeu a reformar todos os banheiros do Parque do Ibirapuera, na zona sul.

Coral

A fabricante de tintas está fornecendo tintas que estão sendo utilizadas nas ações de zeladoria por toda a cidade.

Fiat

A montadora italiana já decidiu que irá ajudar a prefeitura com a recuperação de carros da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e deixá-los em condição de uso.

Mitsubishi Motors

A montadora japonesa forneceu veículos para manutenção das vias da cidade.

20 mil novos empregos

O prefeito ainda busca acordo com empresas para geração de 20 mil novos empregos destinados aos moradores de rua.

Os exemplos de parcerias não param de aparecer e a revelar a capacidade que essa união de esforços tem em resolver problemas da cidade sem ônus aos cofres públicos. A promessa do tucano é a de não haver contrapartidas.

 

 



Relacionados