Placas de velocidade começam a ser substituídas

Após tantos boatos em relação às mudanças de velocidade nas Marginais Tietê e Pinheiros, hoje começaram a circular imagens de equipes com as novas placas de 90km/h, 70km/h,  60km/h e 50km/h.

 

A velocidade mais baixa, de 50km/h, será utilizada para sinalizar a velocidade na primeira faixa da pista local, as demais faixas da própria pista local sobem para 60, central para 70 e a expressa passará a ter limite de 90km/h.

As mudanças ocorrem todas no próximo dia 25 de janeiro, dia de aniversário de 463 anos de São Paulo.

Velocidade será somente uma das mudanças

Segundo o prefeito João Doria, as novas velocidades serão somente uma das mudanças a serem anunciadas no dia 24, um dia antes de terem efeito. O programa Marginal Segura será responsável por uma mudança mais ampla nos 23 quilômetros das vias, é “todo um programa de segurança”, disse.

Da punição pela punição ao investimento em segurança

A gestão Fernando Haddad reduziu as velocidades não só nas Marginais, mas também em diversas ruas e avenidas da cidade. Queria mais segurança para o pedestre. Estava certo e errado.

Em ruas e avenidas com grande tráfego de pedestres, entra e sai de garagens, vagas, e diversas outras interferências,, a medida faz sentido, mas em vias expressas como Marginal Pinheiros, Tietê e Avenida 23 de Maio, não parece.

A mesma ideia não pode valer para vias expressas, primeiro, porque a travessia de pedestres nessas vias é proibido, ou seja, não deveria ter nenhum pedestre  circulando ou cruzando essas vias. Ciclistas nem pensar.  Os motociclistas, que também se acidentam muito todos os dias na cidade, já têm sua circulação proibida na pista expressa das Marginais, alguns circulam por falta de fiscalização.

A verdade é que parece mais racional fazer valer as novas regras, investir em qualidade de segurança viária para motociclistas, ciclistas e pedestres do que levar adiante o punir-por-punir dos últimos anos.

Para não investir em educação de trânsito e em qualidade viária como asfalto e calçadas de qualidade, gradis e outros equipamentos de segurança viária, sinalização, campanhas para motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres, a gestão anterior acabou achando melhor investir em algo que não daria despesa, pelo contrário, lucro: o radar.

 



Relacionados