30/03/2017

A iniciativa privada acaba de manifestar interesse em angariar fundos para estudos de despoluição do rio Pinheiros. A iniciativa partiu da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) e já tem o aval do governador Geraldo Alckmin.

A objetivo é que as águas do rio Pinheiros possam sair da classe 4 de poluição (nível máximo) para a classe 2 (que permitiria o abastecimento humano após tratamento convencional), além de atividades recreativas como a natação. 

O projeto também viabilizará o aumento da produção energética da Usina Henry Borden, em Cubatão, uma vez que haja a reversão do rio para a represa Billings.

A entidade estima que, no futuro, será possível bombear até 50 mil litros por segundo de água limpa do Pinheiros para a Billings, volume suficiente para abastecer cerca de 15 milhões de pessoas na região metropolitana. Hoje, a Sabesp capta apenas 5,5 mil l/s em um braço despoluído da Billings, o Rio Grande.

Segundo a Abdib, os estudos devem ser concluídos até o fim do ano e, quando concluído, será encaminhado à Conpanhia Paulista de Parcerias (CPP) e analisado por todos as secretarias envolvidas. 

Se o projeto se mostrar viável, o governo poderá iniciar a preparação de um edital para concessão do serviço ou uma Parceria Público-Privada (PPP).