Doria vai mandar a conta dos prejuízos aos sindicatos 

Em São Paulo, o dia de greve geral virou um verdadeiro espetáculo de destruição de patrimônio público e particular. A conta, porém, não deve ficar para o munícipe. 

Na cidade, foram ao menos oito agências bancárias destruídas. Uma família, vizinha do presidente Michel Temer, passou o dia limpando a casa, atingida por pedras e garrafas. 

A prefeitura diz que ainda está contabilizando os prejuízos com os bens públicos e vai mandar a conta para todos os sindicatos que organizaram as paralisações em São Paulo.