Administrado pela Unifesp, Hospital São Paulo passa por dificuldades financeiras há anos. Agora, com dívidas na casa de R$ 160 milhoes, pede ajuda ao Ministério da Saúde para evitar mais uma redução nos serviços prestados.

Desde o dia 30 de março, o hospital já não aceita mais internações eletivas, aquelas agendadas, limitando o atendimento aos casos de urgência e emergência.

A receita do Hospital São Paulo é de R$ 568,9 milhões, sendo 47,8% do orçamento federal, 31% do convênio com o SUS, 9,1% do orçamento estadual, 7,3% do Ministério da Educação, já que se trata de um hospital universitário, e o restante das receita vem de outras fontes.

As despesas, entretanto, são maiores do que a receita, e giram em torno de R$ 603,5 milhões, resultando em um déficit de R$ 34,6 milhões.

O hospital pede R$ 1,5 milhão a mais por mês ao Ministério da Saúde para manter atendimento.

Com informações do G1.